Faz Sentido

É o campo, onde a semente da Fé e da vocação é alimentada para crescer saudavelmente.

Bem-vindo ao Faz Sentido

Pré-Seminário

NOTÍCIAS

A arte de uma vida a ser discernida

“Vivemos todos sob o mesmo céu, mas nem todos temos o mesmo horizonte”. Este pensamento, de Konrad Adenauer, pode sintetizar o sentido e a necessidade do discernimento vocacional.

A arte de uma vida a ser discernida

A arte de uma vida a ser discernida

Pré-Seminário

30 de Maio de 2020

O Pré-Seminário é um caminho essencial à descoberta do horizonte individual de cada adolescente, de cada jovem, de cada adulto que anseie pautar a sua vida pela vontade de Deus. Não obstante, é intrínseco que cada um se deixe descobrir e moldar neste ambiente de busca de respostas e de sentido, de contacto com realidades similares e de proximidade com a comunidade do Seminário. Só assim, nesta caminhada de enorme liberdade, o passo seguinte poderá ser conscientemente dado. 

O discernimento vocacional é iniciado, de uma forma mais profunda e séria, nestes encontros mensais, mas não culmina neles; este, é um processo em constante desenvolvimento e amadurecimento, na certeza de que poderá não ser perene o sentido do agora”. Dizem-nos os antepassados que “a pressa é inimiga da perfeição”, e, neste percurso onde nunca existirá este último adjetivo, é necessário manter a serenidade e a confiança de modo a evitar precipitações. 

Nesta proposta arquidiocesana, são abordadas diversas temáticas que visam proporcionar a cada pré-seminarista a devida reflexão, essa, que é lapidar na recolha de respostas, na formulação de questões e na fusão das vontades pessoais com a de Deus, de modo a existir fidelidade ao projeto divino. De entre a pluralidade temática, saliento o ênfase dado à atenuação do “medo”, um sentimento comum de quem caminha e quer continuar a trilhar caminhos porventura desconhecidos e decisivos. A confiança, em si e em Deus, torna-se a chave que permite avançar as barreiras criadas pelo anterior estado de espírito, indo ao encontro do pensamento de Georges Clemenceau, “só triunfam os que se atrevem a atrever-se”. 

Destarte, por tudo o evidenciado, findo com uma cogitação de Rabindranath Tagore: “não é possível atravessar o mar olhando apenas para a água”.

Simão Malheiro, Pré-Seminarista; Fotos: D.R.