Faz Sentido

Sementeira fértil de Deus, de que somos os rebentos crescidos em direção à luz vital!

Bem-vindo ao Faz Sentido

Seminário Maior

NOTÍCIAS

Instituição no Ministério dos Acólitos

«Vivei a Eucaristia para serdes eucaristia». Foi este o desafio lançado por D. Francisco Senra Coelho, bispo auxiliar, aos seminaristas do 5.º ano da Arquidiocese de Braga, na homilia da missa de Instituição no Ministério dos Acólitos.

Instituição no Ministério dos Acólitos

Instituição no Ministério dos Acólitos

Instituições Ministérios

31 de Janeiro de 2018

«Vivei a Eucaristia para serdes eucaristia». Foi este o desafio lançado por D. Francisco Senra Coelho, bispo auxiliar, aos seminaristas do 5.º ano da Arquidiocese de Braga, na homilia da missa de Instituição no Ministério dos Acólitos.

Esta celebração decorreu no dia 28 de janeiro, na Igreja de S. Paulo, e nela foram instituídos os seminaristas Ângelo Machado, João Castro, Miguel Neto e Pedro Sousa, contando com a presença de familiares e amigos, que ajudaram a uma vivência mais profunda deste passo dado na caminhada para a ordenação presbiteral.

De modo a desenvolvermos o nosso ministério de forma mais frutuosa, a celebração teve como momento prévio uma tarde de preparação espiritual, orientado pelo Pe. Afonso Sousa, diretor espiritual deste Seminário, na qual procuramos aprofundar o sentido da instituição no Ministério dos Acólitos.

Segundo a Instrução Geral do Missal Romano, um acólito é instituído para, no serviço ao altar, auxiliar o presbítero e o diácono, sendo sua competência principal preparar o altar e os vasos sagrados, e, em caso de necessidade, distribuir aos fiéis a Eucaristia, da qual é ministro extraordinário. Partindo deste pressuposto, durante os momentos de silêncio e de reflexão vividos nessa tarde, tendo por base passagens dos Evangelhos e das Cartas Paulinas, pudemos perceber ainda que ser acólito instituído é algo que não se esgota no serviço ao altar durante a missa, pois tem, necessariamente, de se projetar no serviço ao próximo, particularmente aquele mais necessitado, não só levando a Comunhão aos que precisarem, como os doentes, mas, e sobretudo, através do exemplo de vida, contribuindo assim para a edificação e crescimento do povo de Deus, pois a Eucaristia é o vértice e a fonte da vida da Igreja, como é afirmado no Rito da Instituição.

Na mesma linha, D. Francisco Senra Coelho exortou a que nos deixássemos conduzir por Cristo, e envolvidos pelo seu Amor misericordioso, nos aproximemos cada vez mais do seu Ministério, de modo a nos dedicarmos aos irmãos na caridade e com espírito de serviço. Pediu-nos, ainda, que nos tornemos «anunciadores da beleza do Reino de Deus a tempo pleno, exclusivo, de coração indiviso e total, à maneira de Paulo de Tarso», sendo portadores de esperança para o mundo de hoje.


Ângelo Machado, João Castro, Miguel Neto e Pedro Sousa